10 janeiro 2015

"Demônios eu entendo, mas as pessoas são simplesmente loucas"

http://4.bp.blogspot.com/-REE42uZ03HE/T_OAMeBauiI/AAAAAAAAFJM/NGeaDBCyX7I/s640/GIF.gif
Como de costume, estava assistindo à minha série predileta, Supernatural, quando cheguei ao episódio 1x15 (décimo quinto da primeira temporada): A Família Bender (The Benders, originalmente). Ele me chama muita atenção pelo fato de se passar com algo diferente do que estamos acostumados a ver Dean e Sam lidarem. Porém, antes de entrar em detalhes sobre este capítulo específico, vou contar um pouco sobre a série.

Sinopse: Supernatural conta a história de dois irmãos, Dean e Sam Winchester. Assim como seu pai, John Winchester, eles são caçadores de criaturas sobrenaturais, e vivem em busca de novos casos para trabalhar. Entre espíritos malignos, Wendigos e muitos outros, passam por diversas situações perigosas, mas salvam muitas vidas. 
Minha opinião: Não assisto a muitas séries, mas essa com certeza é a melhor que existe! Além de ter muito mistério e aventura, a maioria dos episódios é baseada em crenças folclóricas, lendas, entre outros, como por exemplo a Bloody Mary e a Mulher de Branco. Também mostra como a união - no caso a dos irmãos Dean e Sam - faz a força, tal como o ditado. 
1x15: A família Bender
O episódio começa com Sam e Dean em um bar de uma cidade com alto índice de pessoas desaparecidas, a qual eles pretendem investigar. Como teriam que acordar cedo no dia seguinte, Sam pede para que a "saideira" que Dean havia planejado seja adiada, e após bufar um pouco e revirar os olhos várias vezes, o irmão mais velho concorda, pedindo apenas alguns minutos para ir ao banheiro. Quando vai em direção ao carro, Sam não está lá. Procura por todo o estacionamento, mas nada. Após algum tempo de busca, chega à conclusão de que ele não está mesmo ali, e parte à procura do irmão.
Junto à uma policial que ele conseguiu enganar com documentações falsas (pelo menos por um pequeno tempo), descobre que o caso é muito diferente do que ele está acostumado a ver - não há criaturas, espíritos, demônios, nem nada do tipo: se trata de humanos. E depois de descobrir a localização exata de Sam e da policial, fala uma frase extremamente interessante, ao ponto de eu querer colocá-la no título:

"Demônios eu entendo, mas as pessoas são simplesmente loucas"

A partir deste momento, eu tive a certeza do que este episódio se tratava, e não pude parar de imaginar milhares de pensamentos a respeito. É claro que não é normal ser caçador de fantasmas e afins, pelo menos não na vida real. Porém, esta é a realidade deles, que estão acostumados a ver criaturas terríveis a todo o tempo, como demônios, criaturas malígnas que têm a intenção de machucar, causar dor, sofrimento... Aos humanos. Mas a partir de o momento em que um humano comum decide agredir e maltratar o próximo por diversão ao ver a dor alheia, é terrível. Nós deveríamos querer ajudar uns aos outros, ter solidariedade... E não nos matarmos.

Em um resumo de todas as palavras, no meu ponto de vista, o que esse episódio quis dizer é: Sam e Dean já viram muitas coisas horríveis. Porém, não há monstro pior do que o ser humano, e quando o homem quer ser ruim, ele consegue ser pior do que qualquer criatura sobrenatural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Espero que tenham gostado do post. Por favor, comente algo relacionado a ele. Beijos, Giulia :)